Os 12 Signos Zodiacais e as Eras Precessionais

 

O discorrer do Sol ao longo dos 360 graus do Zodíaco descreve dois importantes movimentos: um anual, cuja importância decide a evolução e o destino do homem em sua evolução individual, durante uma existência; e o outro milenar, relacionado com o destino das grandes civilizações humanas durante longas  eras...

No primeiro caso, relacionado com a vida humana durante períodos de sua existência, encontra-se relacionado com os trânsitos do Sol durante um ano quando o Astro do Dia percorre os 360 graus dos 12 signos zodiacais, aproximadamente um grau a cada dia, um signo a cada mês, o Zodíaco a cada ano, entre os signos de Áries e Peixes...

Neste decurso o Sol, com o seu cortejo planetário, vai interagindo com os doze signos zodiacais, determinando os pulsos comportamentais que fazem o destino dos humanos durante uma existência, conforme estudamos nos horóscopos das pessoas em geral...

O outro movimento do Sol ao longo do Zodíaco, está relacionado com o trânsito do denominado “ponto vernal”, o momento em que o Sol, se encontrando no primeiro grau do signo de Áries, coincide encontrar-se o Equador Terrestre no mesmo plano da Eclíptica, proporcionando o momento dos equinócios, ou seja, o dia em que as noites são iguais.

Este momento sideral determina, por outro lado, em torno do dia 21 de março de cada ano, a Primavera do Hemisfério Norte e no dia 23 de setembro o Outono; e sua contrapartida em torno de 23 de setembro com a Primavera no Hemisfério sul e o Outono em 21 de março.

O Ponto Vernal percorre um grau do Zodíaco em cerca de 72 anos e um signo em torno 2.160 anos, perfazendo em quase 26 mil anos um giro completo do ponto vernal ao longo do Zodíaco, no sentido de Peixes para Áries...

Por ser retrógrado esse movimento, é denominado “Precessão dos Equinócios”...

 PRECESSÃO DOS EQUINÓCIOS

(SEGUNDO ASSURAMAYA)

A data da mudança do Ponto Vernal, assinalando o início de uma Era Precessional em um signo determinado, tem sido estudada, desde longas datas, por alguns autores, e, não raro, encontramos divergências nessas datas...

Durante muitos anos, após inúmeras pesquisas, acredito ter encontrado motivações de natureza científica, e confirmações práticas, para estabelecer uma cronologia mais aproximada dos fatos relacionados com os eventos siderais, determinando os vínculos exatos entre o fenômeno astronômico e a evolução humana de maneira tão evidente que os nossos leitores certamente se renderão, como eu mesmo me rendi, da validade dessas datas...

Vamos a seguir explicar como cheguei a essas conclusões e quais os estímulos civilizatórios praticados pelo imutável  trânsito do “ponto vernal” ao longo dos milênios, desde a Era Precessional de Leão, há cerca de quase doze milênios, antes da Era dita cristã...

As minhas conclusões se baseiam em sucessivas pesquisas, profunda meditação, e a constatação final e insofismável da entrada triunfal do Sol na Era de Aquário atual, coincidindo com os eventos nucleares conforme abordarei a seguir...

E as eras subseqüentes, em linha retrógrada, desde a Era de Leão, até os dias atuais quando nos encontramos na Era Precessional de Aquário...

Durante os anos 1940, experiências de tal magnitude desviavam os rumos da evolução humana e planetária para um destino insólito, mas inexorável sob a influência das últimas conquistas da ciência, da fissão nuclear e suas fantásticas e mais diversas conseqüências...

Os diferentes ramos das ciências, tanto no infinitamente pequeno (a física de partículas, captação de diferentes radiações e erupções “gama” e outras denominadas “radiações cósmicas de fundo em microondas”, a biologia molecular, a genética, as neurociências etc), como no infinitamente grande (a astronomia, a cosmologia e a astrofísica), descerraram os “véus dos mistérios” tão veladamente guardados no hermetismo alquímico e filosófico das religiões ditas esotéricas...

Os dogmas foram decifrados, os mistérios da Trindade (Pai, Filho, Espírito Santo; Brahma, Shiva , Vishinu; Osíris, Isis, Horus, e outros, foram devidamente explicados por Helena Petrovna Blavastsky nos três aspectos do átomo de hidrogênio, unidade que contém todas as demais unidades da constituição do Universo...

A Era de Peixes guardou hermeticamente os mistérios, contidos no átomo de hidrogênio...

A Era de Aquário desvendou os mistérios e abriu as portas dos santuários para os homens de boa fé...

Einstein foi o Papa do espiritualismo científico e construiu a “ponte” entre a Era de Peixes e a Era de Aquário...

As explosões nucleares, resultado da fissão nuclear, teriam sido as “sinetas cósmicas”, indicando a entrada triunfal do Sol na Era Precessional  de Aquário...

E a malsinada Bomba de Hiroxima, apesar de não ter sido um evento de magnitude ética, sendo, pelo contrário, o mais hediondo estigma jamais assacado sobre o rosto da Humanidade... conforme se há de esperar para tão importante acontecimento, não temos outra explicação que nos indique a magnífica efeméride, senão acreditar que fez parte  dos formidáveis eventos...

Para demonstrar as minhas conclusões, recuei até a Era Precessional de Leão, prosseguindo, a cada era precessional decorrente, justificando cada Era corrente, na tentativa de confirmar a entrada de cada uma delas, de forma irrefutável, conforme veremos, a seguir...

 

ERA DE LEÃO ............................ de 11.015 até 8.855 aC.

Brilham os equinócios sob a Luz de Leão

Iniciei a minha pesquisa na Era Precessional de Leão por dois motivos muito especiais...

O primeiro deles por se encontrar, essa Era, relacionada com o momento histórico/científico da evolução do homo sapiens, a partir do Neolítico, há cerca de doze mil anos atrás, quando a nossa atual civilização praticamente deu o grande e decisivo passo para o progresso que se seguiria a partir desse evento geológico...

Segundo, o motivo histórico/mitológico, relacionado com a série de  dilúvios, relatados nos escritos de diversas escrituras sagradas das grandes religiões, e inquestionavelmente relacionados com o degelo, ocorrido no final da última glaciação, em torno de doze mil anos atrás; ou, ainda, ao buscarmos nos domínios da lenda que precede à história, fatalmente nos encontraremos frente a frente com os relatos de Platão sobre Sólon e relacionados com o Afundamento da Atlântida, evento igualmente ocorrido em torno de doze mil anos atrás...

Os nossos ancestrais que nos precederam e povoaram a Terra, a partir do Neolítico, substituíram os rústicos neandertalensis e os cro-magnon, tipos mais adaptados às rígidas condições glaciais vigente durante o Período do Pleistoceno que antecederam ao período Neolítico, em torno de dez mil anos antes de cristo...

Com o degelo glacial as águas subiram dezenas de metros, inundaram regiões outrora secas e geladas, provocando os dilúvios das narrações bíblicas....

Com a retirada das águas e o gradativo aquecimento das regiões temperadas surgiram as florestas e um florescente ciclo de desenvolvimento vegetal, e o homem observou que as sementes caídas germinavam. Assim, aprendeu a plantar, e, plantando, iniciou o maior surto de desenvolvimento de todas a sua longa história até então...  As legiões de nossos ancestrais foram mudando hábitos e o homem, notadamente nômade e coletor/caçador, inicia uma nova atividade agrícola. As sementes que ele viu germinar espontaneamente, o estimularam a semear. Espalhou sementes pelos quatro cantos do mundo, fixando-se ao redor de suas lavouras, tornando-se cada vez mais sedentário. Aprendeu a domesticar os filhotes desgarrados dos lobos ferozes que passaram a ser os companheiros, seus cães e guardiões de suas aldeias. Gradativamente desenvolveu hábitos mais sociais e uma cultura mais humana e civilizada...

É o início da Organização social.

O homem se prepara para assumir o comando da evolução planetária...

O Neolítico teve como ponto de partida a prática agrícola, o armazenamento de alimentos, o que proporcionou a fixação à terra, seguida da domesticação de animais como o cão, a cabra, o porco, o uso dos instrumentos de pedra polida, cultura herdada de seu ancestral

Cro-magnon...

Essa sociedade em organização, indubitavelmente haveria de exigir uma liderança para prosseguir em sua vitoriosa trajetória para humanização. E o arquétipo desse esboço de liderança e governo surge na Era de Leão que se afirmava...

A Era Precessional de Leão abre uma nova e empolgante fase na trajetória evolutiva terrena da magnífica espécie humana, criada à semelhança de Deus para liderar e governar o Planeta Terra.

 

ERA DE CÂNCER ...................... de 8.855 até 6.695 aC.

Brilham os Equinócios sob a Luz de Câncer!

Neolítico Posterior – Após o fim da última Glaciação, o aquecimento das terras proporcionou ao homem a atividade agrícola mais diversificada e se fixa à terra.

É na Era de Câncer que o homem inicia uma nova e empolgante fase de maior e mais lúcido contato com a Natureza e o ambiente ao seu redor...

A partir daí ele se observa e observa o que ocorre ao seu redor. E aprende a usar com mais objetivo os instrumentos que fabrica. Tem contato com uma rudimentar metalurgia e substitui, lenta e progressivamente, os utensílios de pedra. Conhece a roda tornando mais fácil o seu labor. Usa animais domésticos para a tração, como o boi e o cavalo.

A agricultura toma intensivo impulso, enquanto a economia coletiva e tribal abre amplas oportunidades para uma sociedade mais evoluída...

Desenvolvendo novas aptidões melhora a técnica agrícola, aumentando a produção, aprende a guardar o produto da safra. Encontrando-se ante a expectativa do produto da sobra, observa a oportunidade do lucro... Surge, a partir daí, um regime de trocas, intensificando as relações com as sociedades vizinhas com as quais aprende a compartilhar....

Esse acontecimento é de vital importância para estimular um incipiente e tímido comércio com outras comunidades.

É o início de uma socialização que se prenuncia...

A idéia de economia e previsão para do futuro. O Homem se socializa, surgem os primeiros rudimentos de sociedades convivendo em pequenas aldeias...

Uma sociedade primitiva, mas pronta para crescer e progredir... O nômade aderindo à gricultura se fixa ao redor de  suas lavouras, domestica animais, desenvolve comunidades mais elaboradas... Seus instrumentos de pedra polida começam a ser substituídos por instrumentos de metal, tais como lanças, machados, facas, punhais etc...

Gradativamente vai aperfeiçoando suas economias com excedentes agrícolas, o que os estimula a aperfeiçoar cada vez mais a comunidade tribal e a organização social...

A sociedade tribal se fortalece na força do clã e a família adquire foros de entidade respeitada, sob a proteção de seus maiores...

O arquétipo das futuras nações é estimulado na forja da Família que se fortalece até pela necessidade de sobrevivência da sociedade tribal primitiva...

Brilham os Equinócios sob a Luz de Câncer!

 

ERA DE GÊMEOS ...................... de 6.695 até 4.535 aC.

Brilham os Equinócios sob a Lua de Gêmeos!

Surgem os primeiros surtos das civilizações mesopotâmicas, nilóticas e da Ásia Menor, na Ásia chinesa e na Índia védica...

Surge a escrita cuneiforme na Mesopotâmia, e na China os primeiros escribas registram o pensamento humano de forma a perpetuá-lo...

E os povos neolíticos chineses desenvolvem uma expressiva arte cerâmica com inscrições que datam até o quinto milênio antes de Cristo...

Nascem cidades e nações primitivas, formam-se colônias, intensifica-se o comércio, trocas de mercadorias, cultura, religião, abrem espaço para diferentes e nascentes civilizações...

Na Anatólia surge um próspero comércio, estimulando o surgimento de grandes cidades.

Novas colônias são criadas, cada vez mais numerosas e distantes, alargando os limites dos nascentes impérios, fortalecendo o comércio que se espalharia por todo o Mediterrâneo e oceanos a fora...

Outros povos começaram a povoar o vale do Nilo (5000 ante de Cristo)

Inicialmente pastores, logo iniciaram uma intensa agricultura estimulada pelas cheias do Nilo. Criavam carneiros, cães e burros de carga.

Surge uma intensa indústria artesanal como a fabricação de cestos e cerâmica, cuja arte de pintura se expandia...

A escrita é inventada no Egito e os primeiros hieróglifos aparecem na cerâmica e nos sarcófagos...

A invenção da escrita hieroglífica, registrando acontecimentos relacionados com a vida dos potentados e históricos mortuários, foi na realidade, uma das mais expressivas conquistas culturais da civilização nascente...

Na Mesopotâmia ocorre paralelamente a escrita cuneiforme, registrando apontamentos sobre economia e assuntos governamentais e sagas desses povos...

A Era Precessional de Gêmeos deixa a marca estimulante da conquista, das primeiras e grandes incursões dos povos se intercruzando, se comunicando, miscigenando raças, culturas, línguas, religiões...

 

ERA DE TOURO - ...................... de 4.535 até 2.375 antes de Cristo

Brilham os Equinócios sob a Luz de Touro!

A Criação do Mundo, segundo o Criacionismo.

O Dilúvio de Noé, segundo a Bíblia...

A Era do Patriarca.

A construção da Esfinge no Egito (2500 antes de Cristo)

Primeiras evidências do surgimento da civilização pré-helênica, a partir da Tessália – a Pátria de Aquiles...

A Lira de Orfeu encanta os ouvidos do Mediterrâneo, desde as praias da Ásia até os Ombros de Hércules...

O uso do cobre é difundido, acelerando o processo evolutivo.

A descoberta do arado dá início a um grande surto de progresso humano.

A cultura agrícola se intensifica como em passe de mágica, simultaneamente em todas as regiões do planeta... É o progresso baseado na sociedade agrícola.

A Idade do Cobre, também denominada Calcolítico (do grego chalkos cobre), atinge o seu mais intenso período, com fabricação de ferramentas,  armas e adornos.

Os  mais importantes eventos estão relacionados com surgimento das grandes cidades, especialmente na Mesopotâmia, no vale do Nilo, no Mediterrâneo.

Simultaneamente, na Mesopotâmia, o cobre é difundido...

No Egito os dois primitivos reinos, já existem: O Delta do Nilo ou Baixo Egito e o Reino de Nekhen, na região de Luxor... No ano de 3.200 foram unificados pelo Faraó Menés. A partir daí iniciam as Grandes Dinastias que fizeram a História do Egito...

A Era Precessional de Touro assinala a hegemonia do patriarcado, germe das grandes monarquias e impérios que se seguiriam na Era seguinte...

 

ERA DE ÁRIES ............................ de 2.375 até 215 aC.

Brilham os Equinócios sob a Luz de Áries!

Era do Bronze – A Idade do Ferro

Zoroastro e o seu Zend-Avesta

Abraão – Moisés, a pena do Taleão.

O marciano Código de Hamurabi.

O Império de Salomão.

A Civilização Mesopotâmia. A Babilônia.

Sodoma, Gomorra, Adama, Seboim são destruídas pelo fogo celeste,

castigadas pela insensatez e volúpia de seus habitantes... 

Poderosas hordas de invasores dóricos surgem na Ática, no Peloponeso, nas ilhas do Egeu e em Creta levando ao fim a civilização miscênica. Resulta, daí, tremenda devastação: a Idade Grega das Trevas.

O Mediterrâneo, o berço da Civilização se lança adentrando o Oceano enquanto as novas nações que surgem se impõem, criando colônias, disseminando o comércio, a cultura, as artes, a filosofia, a mitologia, a religião... Mas, também, as artes das guerras...

A Democracia grega.

A saga e o explendor da Civilização Grega – O Século de Péricles.

Homero, Heródoto, Sócrates e o Divino Platão...

O Silogismo de Aristóteles...

Buda desce do Himalaya e com ele sua poderosa mensagem espiritual

inicia o périplo de muitos séculos...

Surge a Bíblia que seria o calendário, códice e rígida doutrina que haveria de se impor na Era seguinte de Peixes, com a pregação de duas grandes religiões: o Judaísmo e as sementes do futuro Cristianismo...

A Mitologia –  a Anatólia. Os 12 Trabalhos de Hércules. A Guerra de Tróia. Halicarnasso – a Terra de Heródoto.

Os Sete Sábios da Grécia Antiga. As Sete Maravilhas do Mundo antigo.

Os Grandes Pensadores e Filósofos gregos. As Olipíadas...

A fundação de Roma e o nascer e crescimento do fulgurante Império Romano que com suas legiões treinadas para as guerras de conquistas dominaram o Mundo por quase um milênio, disseminando cultura, religião, arte e o idioma latino que haveria de se perpetuar, criando raízes e étimos nos diferente idiomas do mundo moderno e contemporâneo...

A Idade do Ferro proporcionou à Era Prescessional de Áries a máquina civilizatória que acelerou a evolução humana, disseminando a cultura do ferro entre nações nos quatro continentes do Planeta...

 

ERA DE PEIXES .....................  de  215 até 1.945 aD.

Brilham os Equinócios sob a Luz de Peixes!

A difusão generalizada das grandes religiões e doutrinas filosóficas, lendárias e mitológicas: o Cristianismo, o Judaísmo, o Islamismo, o Taoísmo, o Hinduismo e a Ioga. O Espiritismo, a Maçonaria, a Inquisição, as Cruzadas, as Lendas Arturianas e os Cavaleiros da Távola Redonda – As Lutas Religiosas – Os Horrores da Inquisição – A divulgação do Budismo - O Renascimento – O Iluminismo – A Teoria da Evolução de Darwin – O Materialismo dialético de Marx e Engels - A Revolução Industrial...

A descoberta da bússola torna possível as Grandes Descobertas, e o Novo Mundo surge, oferecendo-se como contrapartida à Europa...

As Grandes Guerras  encerram dolorosamente a tormentosa Era de Peixes que sob a liderança do Cristianismo tentou, mas não conseguiu, convencer a Humanidade do seu propósito fundamental: “Amai-vos uns aos outros...”

Em contrapartida, surge nos céus o Planeta Netuno que viria para sustentar a Mensagem do Mestre da Era que se perdera... E, pela primeira vez o Homem pode observar Urano, Regente da Era que se anunciava...

  

ERA DE AQUÁRIO ................  de 1.945 em diante

Brilham os Equinócios sob a Luz de Aquário! E os Filhos da Luz se encontram entorpecidos pelas magníficas vibrações que fluem da Nova Era de Luz, Saber e Ciência...

A Astrologia em sua magnífica grandeza é transferida por Peixes ao Guardião de Aquário... E ressurge, mais excelente do que nunca como contraponto das religiões, a Religião Científica do futuro na Era Precessional de Aquário...

Urano, regente de Aquário e da Era Precessional vigente, já pode ser visto nos céus. Urano, oitava superior do intelectual Mercúrio, é o novo Regente do Signo de Aquário e da Era Precessional vigente, já fulgura nos céus, vem para mudar, transformar, pela compreensão de seus propósitos, pelo poder de sua dialética poderosa e insofismável...

A Nova Ordem se impõe, a Verdade se afirma, a Virtude enobrece as almas e os espíritos de boa fé...

Os altares se reformam, os dogmas são revistos e os Centros de Pesquisas proclamam novas verdades para substituir velhas doutrinas que já não resistem à evolução do pensamento e as novas teorias dos pesquisadores;

Não é mais possível crer sem o conhecimento pleno do objeto da crença; não é mais possível amar, sem o conhecimento pleno do objeto do amor...

O “credo” é substituído pelo argumento insofismável das grandes descobertas  – O Santo Graal e o Tubo de Ensaio são reavaliados – Helena Petrovna Blavatsky já traduzira, desde a Era  passada os textos dos ensinamentos esotéricos do Oriente...  A Ioga surpreende o Espírito Ocidental que se queda ajoelhado ante as magníficas revelações e práticas sublimes para a transformação dos Filhos da Terra...

O dogma e a pesquisa se confrontam e são revistos e questionados – O Homem que perdeu a Fé encontra e se emociona diante da nova revelação e de um Universo em plena revolução...

O homem descobre que é constituído dos mesmos elementos químicos que foram forjados nos núcleos estelares, confirmando cientificamente o que os astrólogos vem ensinando há séculos...

A ciência atinge o seu maior esplendor – As viagens espaciais – A fissão nuclear. A Bomba Atômica, produto das distorções humanas foi a sineta cósmica, assinalando a entrada triunfal do sol na Era de Aquário...

Em apenas um século a Humanidade e o mundo inteiro são sacudidos pelas mais fantásticas e insólitas descobertas científicas e transformações...

A matemática euclidiana, os princípios fundamentais da mecânica,  e até a gravitação universal de Newton são questionados, por novas teorias, sob novas dimensões e novas medidas do Universo, tanto no infinitamente pequeno, como no infinitamente grande...

O sistema métrico decimal tornou-se obsoleto tanto para cima como para baixo... O metro deixou de ser a medida padrão de nossos retalhos; e o quilômetro deixou de ser a medida padrão das grandes distâncias...

Surgiram, para cima, o ano luz, o parcec; e para baixo o mícron, o nanômetro e o ângstron...

O quilômetro ganhou centenas de zeros; e o milímetro perdeu outras dezenas...

Novas fontes de energia foram descobertas; novas dimensões foram divulgadas...

À energia gravitacional e eletromagnética foram acrescentadas a força nuclear fraca e a força nuclear forte...

À matéria visível e bariônica foi acrescentada a energia escura e a matéria escura... 

E quando o choque inevitável das teorias da Relatividade e da Mecânica Quântica se tornou evidente, criaram a Teoria das Cordas que pretende justificá-las...

Novas teorias, cada qual a mais revolucionária, sacudiam os pilares da Sorbone e dos mais avançados centros de pesquisas das grandes nações...

Os cientistas, ávidos de desvendar mais e mais mistérios, decifraram os códigos genéticos dos seres vivos, inclusive dos seres humanos... Penetraram a intimidade das moléculas, dos átomos, dos núcleos atômicos, dos elétrons e das partículas elementares...

E quase demonstram que o “nada” é coisa que não existe...

E “inventaram” a antimatéria, a antienergia, beirando a energia mental e espiritual que eu pretendi explicar na minha teoria dos “pensônios”, em meu livro A GÊNESE DO HOMEM DEUS...

A Era Precessional de Aquário prossegue. É a Era da Luz, a Era do Saber, a Era da virtude que se sobrepõe ao vício.

A guerra entre os Espíritos da Luz será irremediavelmente vencida e os espíritos das trevas serão evacuados para o universo que a eles compete...

A partir daí haverá Luz nos caminhos dos homens, amor em seus corações, coragem em suas almas. Porque o castigo do vicio é o próprio vício e o prêmio da Virtude a própria Virtude.

Porque o homem é um Deus em formação e Deus é o Homem perfeito, a ponta superior do sistema, a perfeição alcançada...

Amorosamente, Assuramaya